Fetiches – Conheça os mais comuns



Fetiche é um assunto que sempre desperta muita curiosidade. Mas você sabe o que é, de fato, considerado um fetiche? É a mesma coisa que fantasia sexual? É normal? Continue lendo a matéria e tenha essas e outras questões respondidas.

O que é fetiche?

Segundo a psicóloga Raelly Beatriz Gomes Benetti (CRP 08/31139), a palavra fetiche deriva de “fétiche” (“feitiço” em francês), que dá o sentido de enfeitiçar, encantar-se por algo. “Do ponto de vista psicológico, o fetiche é uma atração erótica por algum objeto, parte do corpo, funções fisiológicas, cenários etc., de modo que a obtenção do prazer sexual ocorre por meio desses”, explica a psicóloga.

O fetiche é diferente da fantasia sexual, que, por sua vez, se caracteriza como “vontades, ideias ou imagens mentais que mobilizam o desejo sexual, podendo ou não ser posta em prática na realidade”, comenta Raelly. Então, a principal diferença entre fetiche e fantasia sexual é que o fetiche é o meio pelo qual uma pessoa obtém satisfação sexual e chega ao orgasmo, já as fantasias são possibilidades de experimentação no sexo.

10 tipos de fetiche

Aos olhos de quem não os pratica, podem parecer estranhos. Mas, se há consentimento e prazer envolvido, não tem por que existir preconceito. São muitos os fetiches existentes, mas aqui listamos os principais. Confira!


  • Podolatria

Podolatria é o fetiche por pés. É um dos mais comuns e acontece quando alguém gosta de cheirar, lamber, beijar ou acariciar os pés do parceiro ou parceira durante o sexo. Também existe a altocalcifilia, o fetiche por salto alto. Em alguns casos de podolatria, as pessoas sentem atração quando o parceiro ou parceira caminha em seu corpo – utilizando o salto alto ou não.

  • Voyeurismo

É um fetiche no qual se excita assistindo ao ato sexual ou observando corpos nus. Esse fetiche geralmente não envolve o ato sexual, e o voyeur sente prazer apenas em observar ou se tocar enquanto observa. Quando existe consentimento entre as partes envolvidas, não existe nenhum problema com esse fetiche.

  • Exibicionismo

Ao contrário do voyeur, o exibicionista sente prazer em se exibir. Pode ser durante o ato sexual, a masturbação ou também ser observado(a) nu(a). Também é um fetiche que não apresenta nenhum problema caso tenha consentimento entre as partes; caso contrário, é considerado um crime.

  • Sadomasoquismo

O sadomasoquismo faz parte do universo BDSM. Geralmente envolve duas pessoas, uma que cumpre o papel de dominadora e a outra de submissa. O prazer vem pela dor, seja por quem a proporciona ou por quem a recebe. Algumas relações BDSM possuem bem nítidos os papéis de quem é a parte dominadora e quem é a parte submissa da relação; em outras, ambas as partes são um pouco de cada.

Ao contrário do que muita gente pode pensar, as relações que envolvem o BDSM são muito bem acordadas entre as partes. O uso de uma palavra de segurança durante o ato ou cena garante a integridade física e emocional da pessoa submissa.

  • Látex

Muitas pessoas sentem um imenso prazer ao usar ou observar alguém usando roupas de látex, PVC, couro, vinil, borracha ou outros materiais brilhantes e justos. Até mesmo o cheiro desses materiais pode despertar o prazer nas pessoas com esse fetiche.

  • Bondage

Bondage é restringir, prender ou amarrar consensualmente o parceiro ou parceira. Podem ser utilizadas cordas, algemas, vendas, coleiras, mordaças, entre outros objetos. Dentro da bondage, existe o shibari – o método japonês de amarração com cordas. A bondage pode ter fins sensoriais, sexuais ou apenas estéticos.

  • Dominação e submissão

Também faz parte do BDSM e caracteriza as pessoas que sentem prazer em dominar ou serem dominadas. Dentro do universo BDSM, utiliza-se o termo “top” para dominadores, “bottom” para submissos e “switch” para quem ocupa as duas posições. Nem sempre a dominação e a submissão são na atividade sexual ou apenas nela. Tudo depende do que é acordado entre as partes envolvidas na relação.

  • Pet play

O pet play é quando acontece uma encenação em que pelo menos uma das partes age com características animais. Pode envolver adereços como orelhas, roupas, coleiras, plug em formato de cauda, entre outros. Geralmente a prática se estende para além do sexo – a pessoa desenvolve uma persona animalesca.

Na encenação, é comum a relação de dominação e submissão, em que uma das partes desempenha o dono e o outro é o bichinho de estimação. Normalmente os animais encenados são cachorros, gatos, pôneis, entre outros. O pet não fala durante as cenas, mas pode latir, miar, entre outros gestos.

  • Claustrofilia

É o prazer em estar em um pequeno espaço. Pode ser um pequeno cômodo ou um local escondido. É o desejo pelo confinamento. O espaço também pode ser uma jaula ou gaiola.

  • Odaxelagnia

É o fetiche em morder e/ou ser mordido(a). Durante o ato sexual, é comum que ocorram mordidas, mas, para as pessoas que possuem esse fetiche, é um ato mais intenso. O fetiche pode vir acompanhado pelo prazer em morder uma parte específica do corpo ou em receber a mordida.



Não existe nada de ruim ou errado nos fetiches quando existe consentimento entre todas as partes envolvidas. Mesmo em práticas consideradas extremas ou que causam estranhamento aos desconhecidos, quando há o consentimento e a troca de prazer, está tudo certo!

#FETICHES #FANTASIA #MOTEL #MOTELSAMURAY

Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes